Comunidade Boqueirão avalia atuação do Projeto Paulo Freire em 2017

A palavra do dia foi: comunidade. E com a união e vivência de comunhão a comunidade Boqueirão, no município de Arneiroz, realizou, nesta quarta-feira, encontro de avaliação anual do Projeto Paulo Freire, executado pela Cáritas Diocesana de Crateús.  O encontro teve o objetivo de avaliar as atividades realizadas na comunidade no ano de 2017, identificar os resultados, além de discutir o tem que melhorar e o que se quer alcançar no próximo ano. Todas as comunidades atendidas pelo Projeto Paulo Freire estão realizando encontros de avaliação anual.

As agricultoras e os agricultores afirmaram que a comunidade cresceu muito com a chegada do Projeto Paulo Freire e a assessoria técnica da Cáritas Diocesana de Crateús. Apontaram que as capacitações realizadas e os trabalhos de castração feita nos animais são destaque no ano de 2017. A comunidade avalia que os intercâmbios e o conhecimento adquirido fortaleceram as famílias e incentivou os agricultores e as agricultoras a produzirem mais e buscar novas formas de renda.  

A agricultora e artesã, Maria Gonçalves Fernandes afirmou: “a comunidade se fortaleceu, hoje temos mais conhecimento, aprendemos a criar galinha da forma correta, aprendemos muito nas formações”. Maria Gonçalves confidenciou que tem um sonho para 2018, ela gostaria que o Projeto Paulo Freire levasse para a comunidade uma oficina de Artesanato. “Meu sonho é participar de uma oficina de artesanato e que nós mulheres do Boqueirão conseguíssemos criar um grupo de artesanato para produzir muito e conseguir outra renda para nossas famílias”, comentou a artesã.

Já o agricultor Francisco Edivar de Souza Oliveira, espera continuar plantando as frutas e mantendo seu pomar para seguir com a produção de polpa. “O Projeto Paulo Freire me incentivou a plantar e continuar meu pomar, por mais que minha terra seja de muita pedra. Venci este desafio com a ajuda do Projeto e hoje vendo polpa para a Prefeitura de Arneiroz e minha esperança é vender para a prefeitura de Aiuaba em 2018”.

Para o técnico responsável pela comunidade Boqueirão, Raphael de Sousa Pinheiro, o encontro foi de fundamental importância para a continuidade das ações na comunidade e para o desenvolvimento produtivo. “O encontro possibilitou reconhecer o trabalho realizado em Boqueirão, o seu desenvolvimento enquanto comunidade empoderada, com um olhar voltado para a juventude do campo e identificar as oportunidades e avanços alcançados no percurso do projeto na comunidade”. 

O Projeto Paulo Freire é executado pela Cáritas Diocesana de Crateús com financiamento do do Governo do Estado do Ceará e do Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

Por Anita Dias

Fotos Anita Dias

{gallery}AVANUALPF{/gallery}