Entrega de equipamentos de pesca é ocasião para negociar com os poderes públicos

A pesca artesanal é feita por homens e mulheres que sempre pescaram no sertão, nos rios e desde algumas décadas nos açudes. Antigamente alguns pescavam com latinhas de alumínios ou outras ferramentas básicas, com a urgência de quem tem que sobreviver.  Hoje eles e elas pescam de tarrafa e galão, equipamentos confeccionados artesanalmente. O uso dessas redes de pesca como as canoas é fundamental para o exercício da profissão, por isso o projeto ‘Pescadores e Pescadoras artesanais construindo o bem viver” executado pela Cáritas de Crateús em parceria com a CISV e o CPP, co-financiado pela União Europeia, está beneficiando vários pescadores e pescadoras dos 12 municípios com canoas, linhas para confecções e outros materiais úteis para o beneficiamento do pescado e para a venda, como embaladoras, balanças, picadoras, faças. Os equipamentos de pesca foram entregue semana passada em Tamboril, Catunda, Ipaporanga, Nova Russas, Independência, Novo Oriente e Realejo. 

Entrega em Nova Russas

“Ganhar esse material é um presente importante, porque a gente não tem condições de comprar e precisa para desenvolver o nosso trabalho” afirmou Joelma Ferreira, pescadora de Independência na frente dos representantes dos sindicatos e do mundo da política que aceitaram o convite e que dialogaram com a categoria da pesca na ocasião da entrega que se transformou em uma verdadeira negociação. Durante a discussão a pescadora apontou algumas questões a se resolver no município como a DAP e um ponto de comercialização para o pescado. Os pedidos foram encaminhados e a situação promete bem. 

E dá muita esperança a situação de Novo Oriente também, onde para o momento da entrega dos materiais de pesca, foi organizada uma grande festa pela Colônia Z-58, com a ajuda da prefeitura que para a ocasião fez uma raspagem na estrada para garantir um acesso mais rápido e seguro ao açude. 

Durante o evento de entrega, pescadores e pescadoras disputaram com as novas canoas o primeiro torneio de canoagem, com a presença do deputado Carlos Felipe que falou da Cáritas como una ong que desenvolve ações de vida transformadoras que não é só redes e canoas mas é formação e conhecimento. “ Eu queria falar da nossa gratidão para os pescadores e as pescadoras, e anunciar que a prefeitura vai doar uma escola para fazer a sede de vocês” falou o prefeito de Novo Oriente, Vanaldo Moura.

Entrega em Novo Oriente

Também no município de Nova Russas, pescadores e pescadoras receberam materiais de pesca e ao mesmo tempo tiveram a ocasião de falar com a vereadora Socorrinha Holanda sobre a situação do bairro Piçarreira onde moram a maioria das pessoas ligadas a pesca. O encontro foi uma boa oportunidade para falar não só dos problemas do bairro no geral mas do anunciado fechamento da escola. 

Foi um dia de diálogo também na comunidade do Realejo, onde pescadores e pescadoras no dia da entrega tiveram a oportunidade de falar com o deputado Carlos Felipe, das preocupações do dia dia em relação a saúde. Ele foi visitar as casas de quem recebeu o sistema bioágua através do projeto e ficou muito alegre de poder conversar com o povo dos açudes. 

Entrega no Realejo

Pescadores e pescadoras  dos municípios acompanhados pelo projeto, transformaram o dia da entrega dos materiais em momentos para expressar necessidades e reivindicar direitos, debatendo com os poderes públicos, exercitando o poder da fala e mostrando o processo de empoderamento.  

Fotos e texto: Lorenza Strano, assessora de comunicação.