Ipaporanga acolhe Intercâmbio Governamental de Educação Contextualizada

“Muitas vezes, em reuniões de prefeitos, muitos dos meus colegas perguntam o que é essa tal Educação Contextualizada que vem dando certo em nossa cidade. Eu costumo responder que é uma forma de educar a tudo e a todos. Educa o aluno, educa o pai e a mãe do aluno, educa a comunidade do aluno e educa o próprio educador”, partilhou Toinho Contábil, prefeito de Ipaporanga, município que acolheu o 1º Intercâmbio Governamental de Educação Contextualizada para Convivência com o Semiárido como Política Pública”, realizado na última quarta (03/05). Desde 2015 esse modo de viver a escola pública é Lei Orgânica Municipal para a população ipaporanguense, proposta que vem contribuindo para a descoberta das potencialidades e das ameaças ao povo e ao meio ambiente, integrando o saber científico com o saber popular, numa transformação concreta da realidade. Participaram representantes de Novo Oriente, Crateús, Ararendá, Senador Pompeu, Madalena, Quixeramobim, Tauá, Ipueiras, Poranga, Pedra Branca, Quiterianópolis, tamboril, Piquet Carneiros, Nova Russas, Mombaça, Independência e Milhã.

Os e as cerca de 180 participantes visitaram quatro experiências nas comunidades da zona rural: mandala, na comunidade Veremos (município de Ararendá), quintal produtivo que serviu de referência nos primeiros meses de instalação da proposta no município, mostrando como é possível produzir muito, com qualidade e de forma sustentável com pouco espaço, sendo até hoje um laboratório para toda comunidade escolar da  cidade sede do evento; comunidade Mundo Novo, onde foi visto o inovador sistema Ecociclo, que irriga a horta por gravidade, e a luta que o Movimento em Defesa da Vida (MDV) trava, há quase três anos, contra a instalação de uma mineradora de ferro na região, que ameaça destruir mais de 60 olhos d’água; a comunidade Açude Novo, onde foi experienciada a revolução que o sistema Bioágua proporciona para as comunidades, reaproveitando água despejada de lavagens domésticas (banho, louça, roupa, etc.) para hortas e frutíferas onde antes a limitação de água tornaria tais culturas quase impossíveis o ano todo; Quintal produtivo da comunidade Santa Tereza, experiência que serve de laboratório para comunidade escolar e representa bem como a economia do município vem crescendo, adotando práticas verdadeiramente sustentáveis, trazendo um ganho não apenas monetário, mas também à saúde e ao meio ambiente.

Segundo o prefeito de Ipaporanga, entre os benefícios da Educação Contextualizada no município estão a conquista de cisternas de placa com capacidade de 52 mil litros d’água em todas as escolas do campo, um passo significativo na conquista da soberania alimentar e nutricional das comunidades, incentivo a uma produção agrícola diversificada, sustentável e que vem contribuindo para a melhoria da economia do município e consequentemente, já que são produtos orgânicos e na maioria sem o uso de veneno, também vem diminuindo significativamente as doenças notificadas na cidade. “Eu poderia ficar o dia todo aqui e não conseguiria dizer todos os ganhos que tivemos, e também posso passar um ano procurando um defeito na Educação Contextualizada e não vou encontrar”, poetizou o prefeito, que convocou os secretários, técnicas/os de secretarias de educação,  educadoras/es e prefeitos presentes a ampliar essa ciranda pela vida para todo o Ceará.

 

Erionauda, vice-presidente do MDV, fala da luta da população para preservar 65 olhos d’água da ameaça da mineradora.

PARTILHA DOS E DAS PARTICIPANTES

“A preocupação não é como eu cheguei, e sim como vou sair daqui após ver e ouvir tudo que vi e ouvi aqui”, comentou professor Neto, secretário de Educação em Ipueiras. Com 34 anos de profissão na área de educação, ele alegou ter sido tocado por essa proposta tão simples e tão profunda, e se declarou animado para desconstruir alguns conceitos pré-estabelecidos e tentar vivenciar junto com os colegas ipueirenses esse jeito inovador de viver a escola pública. Já Francineuma, da Secretaria de Educação de Tauá, também se declarou motivada a levar a experiência para Tauá, e se disse encantada ao perceber como é possível a educação formal pode ajudar a agregar valor para os produtos das comunidades, tanto do campo como da cidade. “Nós vimos como esse tipo de educação faz a diferença. Em Poranga nós também temos um potencial muito grande, temos recursos hídricos abundantes para o uma cidade do Semiárido e saímos daqui motivados a implantar a Educação Contextualizada em em nosso lugar”, profetizou Francisco Antônio, secretário de educação de Poranga.

UNIÃO EUROPEIA

Também participaram do intercâmbio representantes do Instituto Maria da Penha, do Esplar, da Pastoral do Menor, da Escola Família Agrícola Dom Fragoso, da Associação de Cooperação Agrícola do Ceará, ligada ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, que juntamente com a Cáritas Diocesana de Crateús e a We World realizarão, nos próximos quatro anos, projeto que visa alcançar o número de 20 municípios beneficiados pela proposta de Educação Contextualizada para Convivência com o Semiárido, com financiamento da União Europeia. O encontro em Ipaporanga serviu também de lançamento deste projeto que será coordenado por Rosângelo Marcelino. Além da cidade que sediou o evento, em Tamboril, Nova Russas e Quiterianópolis a Educação Contextualizada é uma política pública, e a partir de agosto outras cidades, das regiões cearenses de Crateús, Inhamuns, Sertão Central e Centro Sul, também iniciarão as suas próprias jornadas de proporcionar o conhecimento universal a partir do próprio contexto.

Secretário, não um chefe, mas um líder da educação em Ipaporanga.

EMPENHO DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DE IPAPORANGA

Desde a preocupação com ornamentar com flores as mesas onde foram feitas as refeições, até o cuidado de colocar um pouco da magia emanada das comunidades escolares empoderadas em cada corredor, em cada fala, em cada exposição feita, transpareceu a todas as pessoas que participaram a transparência com que o processo é vivenciado, com muita humildade e dedicação, pela equipe unida e eficiente da Secretaria de Educação de Ipaporanga, liderada por Deusimar Alvez, líder comunitário, pai de família, educador e secretário de educação. Homem de jeito simples, discurso contundente e que é capaz de prender a atenção de uma multidão e ajudar a limpar os pratos na cozinha se a coisa fica apertada. A personalidade e a hombridade do secretário resume porquê da proposta dá certo em Ipaporanga. A vaidade de servir, ao invés de buscar uma fama mentirosa, a disposição para aprender ao invés da prepotência de se julgar o dono da verdade – como muito/a educador/a faz por aí afora – são alguns dos elementos que explicam como um lugar sai do anonimato, exporta sabores e saberes, sem se achar estrela, mas parte de uma constelação que só fica bonita se as outras estrelas brilham; que não se coloca no palanque, mas desce pro meio do povo e motiva a ciranda.

A Cáritas Diocesana de Crateús é uma profunda admiradora do povo de Ipaporanga, e em nome da Secretaria de Educação agradece cada abraço, cada zelo, cada detalhe preparado com gosto e eficiência exemplares para este intercâmbio, que já entrou para a história e vai ajudar a salvar muitas vidas.

{gallery}INTERC_IPAPORANGA{/gallery}